Tá'Qui Pr'Ocês

Nossa História

Conheça a história do Tá'Qui Pr'Ocês, nas palavras do presidente Luiz Silva

O T'áqui Pr'ocês nasceu em 1985, na madrugada da quarta-feira de cinzas desse mesmo ano.

Eu estava em casa meio arretado com a Prefeitura de Olinda, que pouco proporcionava para os foliões e ficávamos sem opções de brincar, pois os blocos que existiam eram violentos. Foi quando chegou da rua uma cunhada minha, com uma blusa preta e nela existia um desenho de um boneco soltando dedo e escrito: AQUI PARA VOCÊS.

Daí surgiu a ideia de fazer um bloco de amigos para podermos brincar nos carnavais futuros. Na manhã da quarta-feira fui ao bar de Toinho Mutreta e Newtinho, que ficava na Bairro do Amparo onde lancei a ideia, que foi totalmente aprovada. Lembro que estavam presentes: Newtinho, Mutreta, Amaro, Fredinho meu irmão querido, e aí mantivemos o dedão que era símbolo de nossa revolta contra a prefeitura e o nome que foi a junção do AQUI PARA VOCÊS que virou T'ÁQUI PR'OCÊS, representando este nome a intenção de que o bloco está aqui para vocês se divertirem. Também foram definidas as cores do bloco em preto, verde florescente e laranja.

A brincadeira deu certo e são mais de 30 anos de muita animação nas ruas de Olinda.

Como único presidente do bloco durante esses anos, costumo dizer que na realidade, somos todos presidentes, foliões e tudo mais, pois fico extremamente feliz, de ver tanta identificação no meio de tantas gente diferente e reverencio a todos que participam, pois como diz o nosso hino, vamos à rua para cair de tanto amar, e mesmo tendo homem, mulher e menino, Tuim e Sarara, os muitos se tornam um só, num momento mágico de muita alegria.

- Luiz Silva, presidente e fundador do Tá'Qui Pr'Ocês

Nosso Hino

 

Hoje eu vou cair de tanto amar
E vou sair pra desfilar
Fantasiado do que deus dará
De diabo endiabrado, de anjo mal educado, ou paxá de bagdá.
O nosso bloco vem com tudo de cima
Gente boa, gente ruim
Tem tuim e sarará, vem mulher, homem e menino
Subindo e descendo a ladeira
Só para na beira do mar
E carnaval só tem num mês
Eu deixo que quiser falar
Eu bebo uma, bebo duas, bebo três
T'áqui pra mim, t'áqui pra nós
T'áqui pr'ocês